Árbitra é espancada por um jogador em partida na Argentina

Jogador de futebol espancou brutalmente uma árbitra em uma partida realizada na Argentina. Foto: Getty Images
Jogador de futebol espancou brutalmente uma árbitra em uma partida realizada na Argentina. Foto: Getty Images

Um jogador de futebol espancou brutalmente uma árbitra em uma partida do campeonato regional em Tres Arroyos, na província de Buenos Aires, entre as equipes Garmense e Deportivo Independência. O incidente ocorreu quando a juíza marcou uma infração, expulsou dois jogadores, e um terceiro jogador, de 34 anos, a atacou violentamente.

O responsável, que joga no clube Garmense, foi identificado como Cristian Tirone e foi preso após o ataque a Dalma Magalí Cortadi, 30 anos. O jogo com o Club Deportivo Independência foi suspenso após os incidentes.

Leia também:

A sequência foi registrada em vídeo. De acordo com a gravação, Cortadi cobra uma infração e o jogador Garmense acerta a bola com força, arremessando-a para longe, pelo que é expulso. Imediatamente depois, um dos goleiros de Garmense repreende o árbitro e também é expulso na hora.

É quando Tirone, que vem correndo descontroladamente, a surpreende por trás e a atinge por trás, na altura do pescoço. A vítima caiu no chão e seu rosto bateu na grama em cheio. Alguns segundos depois, ela conseguiu se levantar sozinho.

Em meio à violência, outro árbitro parou o agressor e o afastou do jogo. Vários policiais, entretanto, correram para o campo de jogo e capturaram Tirone, que também lutava contra as autoridades, totalmente fora de controle.

Após o ataque, Cortadi teve que ser tratada em um hospital da região. No entanto, ela não registrou nenhum ferimento grave. O agressor foi preso e, em seguida, transferido para uma delegacia, no âmbito de um caso rotulado de "ferimentos leves e também por violação da Lei 11.829 sobre eventos esportivos". Tirone também será acusado de um ato classificado como violência de gênero.

O jogo acabou suspenso e o Deportivo Garmense emitiu um comunicado de repúdio. “A Instituição se solidariza com a juíza agredida, pede desculpas, se coloca à disposição dela e se compromete a continuar trabalhando para erradicar a violência em todas as suas formas e formar atletas com valores como: disciplina, camaradagem, comprometimento e , acima de tudo, respeito e tolerância”, afirma a mensagem.

Na noite de domingo, a juíza agredida, já em sua casa na cidade de Tres Arroyos (cerca de 500 quilômetros a sudoeste de Buenos Aires), referiu-se ao lamentável episódio. “Você tem que expulsá-lo para sempre. Ele é uma pessoa violenta. Eu vi no vídeo: uma pessoa normal não faz o que esse homem fez. Nenhuma pessoa merece isso. Não vamos aos jogos para apanhar. Espero que ele pague pelo que fez", desabafou a agredida.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos