Após assalto, retorno de Sterling à Copa do Mundo é incerto

Sterling teve de deixar a seleção inglesa durante a Copa do Mundo. Foto: Visionhaus/Getty Images
Sterling teve de deixar a seleção inglesa durante a Copa do Mundo. Foto: Visionhaus/Getty Images

Após ter a sua casa assaltada nesse domingo (4), o retorno de Sterling, atacante da Seleção da Inglaterra, para Copa do Mundo é incerto. O atleta precisou deixar a delegação às pressas horas antes do jogo contra Senegal quando soube que uma gangue roubou 300 mil euros dentro de sua casa em relógios e joias de grife.

O veículo inglês The Sun publicou que Sterling só vai voltar para Copa do Mundo quando tiver certeza que a sua família está em segurança, ou seja, o atacante pode nem ser relacionado para o confronto contra França neste sábado (10), às 16h (horário de Brasília), no Estádio Al Bayt.

Leia também:

Uma fonte mantida em sigilo pelo The Sun afirmou: “Raheem disse a todos: 'Não há como eu ir a lugar nenhum, a menos que tenha 100% de certeza de que minha família pode ser mantida em segurança'. O veloz atacante é preocupado com a segurança e parte do motivo pelo qual sua família se mudou para essa propriedade é que ela fica em uma área exclusiva e cercada de patrulhas de segurança regulares.

“Apesar disso, ele ainda conseguiu ser alvo, o que é muito perturbador para Raheem e Paige. Eles acabaram de voltar para Londres e querem se sentir seguros”, completou a fonte. Essa mudança de Sterling para Oxshott, em Survey, aconteceu logo depois em que se transferiu para o Chelsea no valor de 47,5 milhões de libras.

OUTRA VÍTIMA

Uma das outras vítimas do Chelsea foi o zagueiro Reece James, de 22 anos. Na ocasião, a sua casa foi invadida por uma gangue que a atacou em Cobham, Surrey, no mês de setembro de 2021. Essa turma roubou o seu cofre, que guardava as suas medalhas da Liga dos Campeões, Supercopa e Euro 2020.