Após falha de Fagner, do Corinthians, esposa e filho do jogador reclamam de xingamentos nas redes sociais

Fagner entrou no segundo tempo do clássico contra o Corinthians (Foto: Rodrigo Coca / Agência Corinthians)


A esposa e o filho do lateral-direito Fagner desabafaram após a derrota do Corinthians para o Palmeiras, neste sábado (13), pelo Campeonato Brasileiro.

Ambos se expressaram através do perfil do filho do jogador.

- Mais uma vez eu, como mãe do Henrique, venho aqui pedir educadamente que parem de mandar mensagem para o Henrique xingando mandando recado sobre o jogo de hoje. Um absurdo as mensagens que recebemos. Paz e mais amor, por favor - escreveu Bárbara Lemos.

- Muito triste mesmo eu receber ameaças novamente e receber xingamentos sendo que nem joguei. Erros acontecem e só erra quem tenta. E outra, é triste abrir o direct para falar com amigos e ver várias mensagens, xingamentos. Enfim, reflita - pontuou Henrique Lemos.

+ Confira a tabela do Brasileirão e simule os próximos jogos

Fagner entrou no segundo tempo da derrota corintiana no Dérbi. Ele teve papel negativo na partida, pois perdeu a bola que originou o gol da vitória palmeirense por 1 a 0, marcado contra, por Roni.

Em entrevista coletiva após o Dérbi, o técnico Vítor Pereira falou sobre o assunto e citou a valorização da familia.

>>> Assine o Premiere no Prime Video e acompanhe todas as emoções do seu clube no Brasileirão<<<

- Infelizmente o futebol está assim. Hoje somos os maiores, no dia seguinte, se as coisas correm mal, somos os piores. Hoje em dia, a sociedade muito facilmente tem uma projeção na mídia. Nas redes sociais, e como não há censura ao que se diz, tudo sai. Até o menino de 10 anos pode escrever uma coisa e ter impacto. Digo a eles que temos que estar preparados para ouvir elogios. E quem está preparado para ouvir elogios tem que ouvir críticas. A vida é assim, e com as famílias é igual. Devemos valorizar o que importa, o que importa é trabalharmos, estarmos unidos, dando volta às situações, ir a procura dos resultados, melhorar nosso jogo, de passar na próxima eliminatória, proporcionar bons jogos a nossa torcida, e desvalorizar aquilo que naturalmente, cada um mantendo sua opinião, mas tudo passa do limite é condenado. Se valorizamos as críticas e ameaças, não podemos estar no futebol, temos que escolher outra profissão -

Na última semana, o meia-atacante Willian pediu a rescisão contratual alegando insegurança, por conta de ameaças virtuais sofridas nos últimos meses.

Outros atletas do elenco, como Cássio e Paulinho, por exemplo, já prestaram queixa policial neste ano por conta de mensagens intimidadoras nas redes.