Ao L!, Júnior Santos revela desejo de ficar no Botafogo, elogia Luís Castro e relembra momentos de dificuldade

Júnior Santos chegou ao clube por empréstimo (Vitor Silva / Botafogo)


Um dos destaques na vitória em cima do Coritiba por 2 a 0, Júnior Santos chegou ao Botafogo por empréstimo em agosto deste ano com muita disposição para oferecer. Em entrevista ao LANCE!, o atacante celebrou seu início no clube e revelou que deseja permanecer no Glorioso.

+ Relembre o desempenho do Botafogo em cada edição do Brasileirão por pontos corridos

- Está sendo ótimo. Realização de um sonho. Estou muito feliz de estar aqui. Fiz um grande jogo no sábado (Botafogo x Coritiba). A gente conseguiu uma importante vitória diante do nosso torcedor. Estou muito focado. Quero continuar no Botafogo e renovar meu contrato. Não depende só de mim, tenho que dar meu melhor sempre, mas quero ficar.

+ Com Gatito fora, Lucas Perri ganha chance de 'mostrar serviço' no Botafogo

Natural de Conceição de Jacuípe (Bahia), Júnior Santos veio da várzea, não passou por categorias de base e iniciou sua carreira profissional somente aos 23 anos. Durante um resenha leve e descontraída, o atacante analisou seu início no Botafogo, elogiou Luís Castro e relembrou das dificuldades que enfrentou antes de se tornar jogador.

+ Júnior Santos revela 'bronca' de Luís Castro durante Botafogo x Coritiba

INÍCIO NO BOTAFOGO

- Quando eu cheguei no Botafogo, a torcida estava muito impaciente pelos resultados. Então, eu cheguei com essa pressão. Eu fiz jogos contra Juventude e Flamengo. Eu cheguei numa segunda-feira. Eu viajei dois dias, comi comida ruim e também fiquei sem treinar dois dias lá (Japão), porque eu já estava em negociação com o Botafogo. Fiquei ansioso. Não conseguia comer, dormir e perdi muita massa muscular. Os primeiros 15 dias foram muito difíceis. Eu não consegui mostrar o que eu sabia nos jogos.


TRAJETÓRIA DE VIDA

- Sou realizado. Já passei várias dificuldades. Deus me fez chegar até aqui. Tudo é momento. Com 15 anos, desisti de ser jogador profissional. Escutei muitas palavras negativas e acabei desistindo. Aos 20 anos, comecei a vida da forma que um homem precisa encarar. Tive que trabalhar e pagar as contas. Muitas vezes, tive que comer arroz com mortadela e tomar café com farinha. Eu passei por muitas dificuldades, até que Deus foi abrindo as portas para mim. Eu comecei a jogar no amador, ganhar dinheiro e as coisas foram melhorando. Aos 23 anos, consegui ser jogador de futebol.

RELAÇÃO COM LUÍS CASTRO

- O Luís Castro é muito sério. Não tem tratamento melhor ou pior. É um cara centrado. A relação com todos os jogadores são iguais. Eu vi que ele é um cara muito justo e um treinador muito bom. Não tem titular ou reserva. Quem tiver no momento bom, vai jogar. Estou gostando muito de trabalhar com ele. Botafogo está no caminho certo. Com o time pegando entrosamento, Botafogo vai crescer no campeonato.

VAGA NA LIBERTADORES

- É possível. Com 20 anos, eu estava comendo café com farinha e assistindo os jogos pela televisão. Hoje, estou jogando e minha família está me assistindo. O time é muito bom, a gente tem qualidade para isso e precisamos ir num passo de cada vez.

EMOÇÃO DE JOGAR PELO BOTAFOGO

- Eu acho que estou sonhando. Será que é real mesmo? (risos). Eu olho para minha casa, meus filhos e minha carreira. Olho para uma foto do Instagram e falo: "nossa, estou no Botafogo". Outro dia eu estava assistindo gol do Dodô na TV. Agora estou aqui (risos). Até hoje fico assim.

+ Eduardo dá detalhes sobre parceria com Tiquinho no Botafogo: 'Eu jogo em função dele'

Júnior Santos pertence ao Sanfrecce Hiroshima e está emprestado ao Botafogo até o fim do ano. Apesar do contrato, o jogador de 27 anos espera permanecer no Glorioso por mais tempo e ajudar o time de Luís Castro nesta fase restante do Campeonato Brasileiro.