Anunciado por novo clube, Marcinho é impedido de deixar o Brasil por conta de acidente em 2020

Marcinho deixou o Athletico Paranaense em abril (Foto: Divulgação/José Tramontin/athletico.com.br)


Sem clube desde abril, o lateral Marcinho foi anunciado como reforço do Pafos FC, do Chipre. Contudo, o juíz Rudi Baldi Loewenkron, da 34ª Vara Criminal do Rio, negou a saída do jogador do Brasil, por conta do acidente que vitimou duas pessoas em dezembro de 2020.

+ Falcão posa com Luva de Pedreiro e declara: 'Receba o que for seu. Não somos seus donos'

Marcinho foi denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro após o acidente, e desde então busca acordo para encerrar o caso. Contudo, segundo o jornal 'O Globo', a Justiça negou o pedido de saída do atleta de 26 anos do país.

+ Jornalistas, ativistas e membros da Fórmula 1 criticam Nelson Piquet por uso de termo racista contra Hamilton

Marcinho atropelou e matou Maria Cristina José Soares e Alexandre Silva de Lima há um ano e meio. O casal de professores atravessava a Avenida Lúcio Costa, no Recreio dos Bandeirantes, quando foi atingido pelo veículo do jogador, na época ainda atleta do Botafogo.

+ Jogador do PSG é assaltado na casa de Ronaldo Fenômeno em Ibiza e tem prejuízo de R$ 16 milhões

Para negar o pedido de mudança para o Chipre, a Justiça argumentou que o caso estar para "ser sentenciado, sendo inviável a autorização para que o réu deixe o país, sem qualquer previsão de retorno, sob o risco de frustrar a aplicação da lei penal".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos