André Rizek critica árbitro por cartão inusitado dado a jogador do Botafogo: ‘Abuso de autoridade’

Seleção SporTV montou equipe ideal do Brasileirão (Foto: Reprodução Sportv)


Na vitória do Botafogo contra o Goiás por 1 a 0, nesta quarta-feira, um lance inusitado chamou a atenção. O lateral-esquerdo Marçal tentou atingir um drone que sobrevoava o campo com a bola e foi punido com um cartão amarelo. O apresentador do “Seleção Sportv” André Rizek discordou da punição.

+ Brasileirão: Veja as chances de título, ida à Libertadores e rebaixamento após a 28ª rodada

– Acho que é o primeiro cartão da história do Campeonato Brasileiro atribuído a um jogador por tentar jogar a bola em um drone. Eu queria entender o porquê do cartão. Não era o drone da transmissão, não era da CBF. Precisa dar um cartão? – questionou.

Na sequência, o jornalista foi ainda mais contundente ao falar da decisão do árbitro da partida, Luiz Flávio de Oliveira.

– Eu chamo isso de abuso de autoridade – falou Rizek.

+ Comentarista de arbitragem detona árbitro: ‘Não entendeu o que é um Palmeiras e Atlético-MG’

De acordo com a súmula de Luiz Flávio, o árbitro foi informado de que o drone era da emissora que transmitia a partida e depois foi esclarecido que não. Confira o trecho:

"Informo que aos 21 minutos do segundo tempo de jogo, um drone sobrevoou o gramado não atrapalhando o andamento da partida, e nos foi informado pelo delegado da partida Sr. Sérgio Albernaz, que o drone seria da emissora que transmitia a partida, pois antes do início do jogo este delegado recebeu a informação de que haveria um drone dessa emissora cobrindo a transmissão. Aos 26 minutos do segundo tempo de jogo, o drone voltou a sobrevoar o gramado durante uma paralização (sic) para atendimento de dois atletas lesionados e, nesse momento o atleta de número 21, Fernando Marçal de Oliveira, do Botafogo, jogou a bola atingindo o mesmo, que deixou as proximidades do gramado não retornando até o seu final do jogo, e fomos informado (sic) novamente pelo delegado da partida que o drone não era da emissora que transmitia a partida"