ANÁLISE: Frágil fora de casa, Corinthians ainda não se encontrou com time alternativo

Xavier foi titular contra o Coelho (Foto: Rodrigo Coca / Agência Corinthians)


Após um desgastante duelo contra o Fluminense na Copa do Brasil, Vítor Pereira rodou várias peças do Corinthians e escalou uma equipe alternativa contra o América-MG. A tática do português não deu certo, e mais uma vez os reservas deixaram a desejar em um confronto onde a falta de intensidade ficou evidente.

+ Cássio faz milagres, mas não evita derrota do Corinthians para o América-MG; veja notas

A última vez que o Timão entrou em campo com tantos jogadores que vem sendo pouco aproveitados foi na derrota por 1 a 0 contra o Fortaleza, e o jogo na Arena Independência lembrou muito a partida no Castelão.

O clube alvinegro não conseguiu criar chances reais de gol e se mostrou desorganizado defensivamente. O meio-campo com Xavier, Roni e Giuliano não conseguiu dar dinamismo ao time, que sofreu demais na marcação entrelinhas. As peças ofensivas ficaram reféns da falta de criatividade, e a defesa se mostrou desentrosada.

O resultado foi um primeiro tempo desastroso, no qual o Timão viu o adversário tomar conta da partida, e por falta de capricho não desceu para o vestiário em vantagem.

+ Confira a tabela do Brasileirão e simule os últimos jogos

O técnico português voltou para o segundo tempo com Robson Bambu, Du Queiroz e Yuri Alberto. Dos três nomes, Vítor Pereira só errou ao colocar o zagueiro. Bambu já cometeu erros em diversas ocasiões e só deveria ser utilizado em caso de emergência.

Com Robert Renan no banco, seria mais prudente ter colocado o garoto, haja visto que Bambu falhou no gol do Coelho e não há explicação para insistir com ele.

Mesmo com a desvantagem no placar, um novo sistema tático e Renato Augusto e Fausto Vera em campo, o Corinthians seguia sem conseguir produzir perigo ao gol de Cavichioli. Os titulares que entraram davam claros sinais de desgaste, e a equipe não conseguiu mudar o ritmo no segundo tempo.

A partida contra o América-MG foi mais uma demonstração de que o nível técnico dos reservas não será suficiente para o Corinthians seguir na briga pelo título brasileiro e conciliar com a final da Copa do Brasil.

Vítor Pereira optou por preservar os titulares, e mais um resultado negativo fora de casa no Brasileirão aumenta a pressão para o Corinthians ser campeão contra o Flamengo.