Update privacy choices
Esportes

O dia que o Bayern de Munique se vestiu de Brasil para espantar tabu

Colaboradores Yahoo Esportes
Yahoo Esportes
Bayern continuou usando camisas amarelas no década de 90 (Ruediger Fessel/Bongarts/Getty Images)

Por Leandro Tavares (@leandroptavares)

O Bayern de Munique é um dos times mais tradicionais do futebol mundial e o vermelho e branco de seu uniforme seguramente impõem respeito dentro de campo. Mas ao menos uma vez o clube alemão precisou de algo mais para se sentir superior a um adversário. Foi quando o time bávaro trocou as cores de sua roupa para uma das combinações mais temidas ao longo da história: o amarelo e azul da seleção brasileira.

Você já viu o novo app do Yahoo Esportes? Baixe agora!

O episódio aconteceu em 1983. Na ocasião, o Bayern amargava um incômodo jejum atuando como visitante contra o modesto Kaiserslautern. O último triunfo na casa do adversário havia sido em 2 de maio de 1975. Desde então, as visitas ao estádio Betzenberg — que tem o apelido de “Inferno” — se tornaram cada vez menos agradáveis, implicando em uma sequência de 10 jogos sem vitória (dois empates e oito derrotas).

O curioso é que, ao contrário do Bayern, o Kaiserslautern estava longe de ser uma potência. A equipe do sudoeste da Alemanha não conquistava a liga nacional desde 1953 e, no período do tabu, alcançou no máximo a terceira colocação nas temporadas 1978-79 e 1979-80.

Apesar disso, o Bayern encontrava problemas a cada ida à casa do adversário. Entre as derrotas, houve uma contundente goleada por 5 a 0 em 1978, além de uma eliminação na terceira fase da Copa da Alemanha em 1980.

Diante do cenário pouco animador, a diretoria do clube resolveu apostar em algo diferente para motivar a equipe antes da partida contra o Kaiserslautern em 26 de novembro de 1983 e encerrar o incômodo tabu na casa do algoz. Naquele dia, o Bayern de Munique usaria um uniforme inspirado na seleção brasileira.

A escolha pelo amarelo e azul não foi por acaso. No início da década de 1980, o Brasil contava com uma equipe recheada de estrelas, considerada por muitos como uma das seleções mais fortes de todos os tempos. Craques como Zico, Sócrates, Júnior e Falcão exibiam talento dentro de campo e encantavam o mundo. Nem mesmo a derrota para a Itália na Copa de 1982 apagava o brilho daquela seleção.

A ideia de vestir o Bayern de Munique com as cores do Brasil surgiu do então diretor comercial Uli Hoeness. Dias antes da visita ao Kaiserslautern, ele sugeriu à fornecedora de material esportivo a criação de uma roupa especial para a partida. O Bayern, então, entrou em campo vestido de Brasil. A surpresa foi escondida até o último instante e a equipe só apresentou o uniforme ao entrar no gramado para o apito inicial.

A partida, conforme esperado, não foi fácil. O Bayern precisava da vitória para se manter entre os primeiros colocados da Bundesliga e encontrou um adversário disposto a dificultar as coisas e manter um tabu que já durava oito anos. Em um confronto tenso e cheio de lances ríspidos, as equipes chegaram ao intervalo com um empate sem gols. No segundo tempo, no entanto, veio a explosão de alegria para o time de Munique: o defensor Klaus Augenthaler cobrou falta aos 15 minutos da etapa final e contou com desvio na barreira para marcar o gol da vitória por 1 a 0 do Bayern. Por influência ou não do uniforme, a equipe pôs fim ao jejum.

Mais do que isso: a vitória do Bayern “brasileiro” deu início a uma mudança de cenário nos confrontos entre as equipes no estádio Betzenberg. O triunfo foi o primeiro de uma sequência invicta de cinco jogos do time de Munique na casa do adversário (quatro vitórias e um empate).

A camisa amarela voltaria a ser usada pelo Bayern de Munique em outras ocasiões nas duas temporadas seguintes, mas, apesar da sorte que levou à equipe para findar o jejum contra o Kaiserslautern em 1983, não caiu nas graças dos torcedores. No início da década de 1990, a cor voltou à tona quando o Bayern adotou um segundo uniforme predominantemente amarelo.

Desde aquela partida, muita coisa mudou. O Bayern conquistou 21 vezes o campeonato nacional e aumentou ano após ano o seu domínio na Alemanha. Já o Kaiserslautern teve o seu último grande momento na temporada 1997-98, quando conquistou a Bundesliga. Atualmente, a equipe disputa a terceira divisão alemã.

3 Reações

Leia também