Update privacy choices
Esportes

Com 14 modernos centros olímpicos, Portugal tenta atrair atletas da elite e desenvolve projetos sociais

Colaboradores Yahoo Esportes
Yahoo Esportes

Por Tiago Leme, de Portugal

Considerando que esporte e educação caminham lado a lado na formação de um cidadão e no progresso de uma nação, Portugal tem apostado no esporte de alto rendimento para promover o desenvolvimento esportivo e social no país. Mas os portugueses vão além disso, eles querem ultrapassar as fronteiras. Com 14 modernos centros olímpicos, denominados de “Centros de Alto Rendimento (CAR)”, a maioria deles novos ou completamente reformados, Portugal tenta atrair atletas de elite do mundo todo para aproveitarem essa estrutura, e o Brasil é um dos principais alvos.

Você já viu o novo app do Yahoo Esportes? Baixe agora!

Com esta finalidade, existe o programa “Internacionalização da Rede Nacional de CAR”, que consiste em apresentar as instalações, equipamentos esportivos e serviços de apoio multidisciplinar que Portugal tem a oferecer. Para as construções e reformas desses centros, foram investidos um total de 150 milhões de euros, e todos os anos são injetados cerca de 500 mil euros em financiamentos de projetos dos CARs, para melhorar a área esportiva e tecnológica. Além disso, este programa de internacionalização teve um orçamento de 1,3 milhões de euros.

Com centros especializados nas mais variadas modalidades, incluindo atletismo, natação, remo e surfe, por exemplo, a ideia é receber atletas em fase de preparação para Campeonatos Mundiais e outros torneios disputados na Europa e lugares próximos. Para isso, há uma lista de argumentos citados como atrações para os estrangeiros escolherem o país.

“É um conjunto de argumentos e de vetores. A questão financeira é uma delas, e eu tenho a certeza que Portugal oferece tão boa ou melhor qualidade que qualquer outro país da Europa, com preços muito mais baixos. Isso é uma vantagem. Por outro lado, a proximidade cultural como Brasil, a história, o passado, a língua. Mas também um conjunto de fatores interessantes, como o clima, a localização privilegiada, a segurança, que é fundamental. As pessoas podem treinar aqui e caminhar na ruas qualquer hora do dia e da noite, sem correrem risco de serem assaltadas. A gastronomia, e a cultura que estamos criando do esporte de alto rendimento. Portugal tem feito um grande investimentos nos últimos 20 anos na ciência do esporte. E as infraestruturas daqui são especializadas e muito recentes. Ou seja, eu vou na ginástica e sei que aquele material já foi utilizado nas Olimpíadas do Rio e vai ser utilizado em Tóquio. Tem também o investimento tecnológico, esses centros têm essa tecnologia de ponta”, listou Paulo Marcolino, diretor executivo da Fundação do Desporto de Portugal.

Apesar de Portugal ter pouca tradição em Jogos Olímpicos (conquistou apenas uma medalha no Rio 2016, bronze no judô, e uma em Londres 2012, prata na canoagem), a estrutura atual de fato é excelente, e a aposta é colher frutos no futuro. A convite da Fundação do Desporto, a reportagem do Yahoo visitou alguns desses CARs junto com outros jornalistas. Além das instalações esportivas modernas, como o velódromo de Anadia, por exemplo, outro ponto também chamou a atenção. Foi existência de alojamentos dentro de vários desses centros, alguns deles no nível de hotéis bons, como em Rio Maior, com 32 quartos, e Pocinho, com 85 quartos, o que evita deslocamentos incômodos, comodidade importante na preparação dos atletas.

E apesar da prioridade de todos esse investimento ser atrair atletas da elite, formar futuros campeões olímpicos também é uma meta. Por isso, crianças, adolescentes e atletas amadores também podem usufruir de boa parte desta estrutura esportiva espalhada pelo país. Os Centros de Alto Rendimento desenvolvem um papel de inclusão social e educação dos jovens, incluindo pessoas com deficiência. No CAR de Rio Maior, por exemplo, um dos que mais se destacam pela qualidade da piscina e instalações para a natação, existe uma escola e uma faculdade que funcionam no mesmo complexo, o que permite essa maior integração.

Apesar de o futebol ser o primeiro esporte na preferência nacional dos portugueses, atualmente cada vez mais jovens são incentivados e praticam diferentes modalidades, como ciclismo, badminton, canoagem, tênis, judô. Abrir esses espaços modernos para o público em geral não só tem esta função social, mas também é uma fonte de renda que ajuda na manutenção e funcionamento desses locais.

“Muito do que temos de estrutura pode ser proporcionado também ao público em geral. Em partes, isso é para torná-los viáveis financeiramente. Mas o principal é tentar motivar as pessoas ao esporte, é abrir a porta de laboratórios especializados em ciência do esporte, o que é uma novidade para o jovem. O jovem não vai apenas para um pavilhão treinar, eles acham esse laboratório uma novidade, e com isso conseguimos captar maior atenção do jovem para o esporte. E aumentando a base de participação, também aumenta a possibilidade de selecionar talentos”, explicou Paulo Marcolino.

Este ano, dirigentes e membros da comissão técnica de confederações esportivas de vários países foram convidados para conhecer as instalações que Portugal tem a oferecer. Do Brasil, estiveram presentes representantes da Prefeitura de São Paulo, do Esporte Clube Pinheiros, da Confederação Brasileira de Surfe e da Marinha. A expectativa dos portugueses é que mais gente seja atraída no próximo ano, com a iminência dos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020.

Os 14 Centros de Alto Rendimento de Portugal:

Viana do Castelo (surfe)
Maia (atletismo, ginástica e tênis)
Vila Nova de Gaia (taekwondo e tênis de mesa)
Pocinho (remo e canoagem)
Aveiro (surfe)
Anadia (ciclismo, esgrima, ginástica, judô e pentatlo moderno)
Montemor-o-Velho (canoagem, remo, triatlo, maratona aquática)
Nazaré (surfe)
Caldas da Rainha (badminton)
Peniche (surfe)
Golegã (hipismo)
Rio Maior (natação, multidesportivo)
Vila Real de Santo Antônio (atletismo, judô, futebol, triatlo e natação)
Jamor (atletismo, tênis, rugby, tiro ao arco e golfe)

Centros de Treinamento – Portugal

Quadra coberta de tênis no CAR de Maia (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Canal para a prática de canoagem em remo, em Montemor-o-Velho (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Estádio de Atletismo em Maia, em Portugal (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Sala para a prática de taekwondo em Anadia (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Entrada do Centro de Alto Rendimento de Anadia (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Moderno velódromo na cidade de Anadia (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Piscina olímpica no CAR de Rio Maior (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Ciclistas treinam em espaço fechado em Rio Maior (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Sala médica no centro olímpico de Rio Maior (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Academia com equipamentos modernos em Pocinho (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Ginásio com quadras de badminton em Caldas da Rainha (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Espaço para a prática de tênis de mesa no CAR de Vila Nova de Gaia (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Ginásio poliesportivo em Vila Nova de Gaia (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Quarto para atletas no alojamento de Vila Nova de Gaia (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Quarto para surfistas jovens e amadores no Centro de Alto Rendimento de Peniche (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Praia de Supertubos, em Peniche (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Pranchas de surfistas famosos à exposição no Farol de Nazaré (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Baias para os cavalos no CAR de Golegã, especializado no hipismo (Tiago Leme)

Centros de Treinamento – Portugal

Piscina climatizada no CAR de Pocinho (Tiago Leme)

3 Reações

Leia também