Aliado do bem-estar, surfe é válvula de escape para profissionais comuns

Diego Martone desestressa em sessões de surfe (Foto: Arquivo pessoal)


Em alta no Brasil devido aos resultados de nomes como Gabriel Medina, Filipe Toledo e Ítalo Ferreira, o surfe vai além de um esporte olímpico. Em países da Europa, como França e Portugal, pegar onda é receitado como terapia por médicos.

Além dos benefícios para o corpo, melhorando a capacidade cardiorrespiratória, o equilíbrio, a coordenação motora, o reflexo e fortalecendo os músculos, o surfe também potencializa a mente, muito devido ao contato com a natureza.

O esporte é uma válvula de escape para muitos profissionais comuns. Empresário e influenciador digital, Diego Martone é um exemplo: sempre que pode, pega sua prancha e cai no mar para se livrar do estresse da rotina de trabalho.

"O surfe me deixa bem mais disposto e determinado para conseguir enfrentar todas as adversidades comum a todos seja devido ao trabalho ou a problemas pessoais. Depois do surfe, me sinto mais vivo, entusiasmado, menos procrastinador", destaca Martone.

"Ao mesmo tempo que fortalece o meu mental e a minha criatividade, também estimula a tonificação do meu corpo. Enfim, é uma atividade completa: eu consigo trabalhar meu equilíbrio num todo, tanto mental quanto o corporal", completa o empresário.

Vale ressaltar que os interessados em experimentar esse "remédio" chamado surfe devem, imprescindivelmente, ter o acompanhamento de um especialista qualificado, tanto para conseguir evoluir quanto para surfar em segurança.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos