Ainda sem renovação certa, São Paulo relembra estreia de Miranda

Miranda somou duas passagens pelo São Paulo (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)


Nesta terça-feira (20), o São Paulo compartilhou uma postagem em suas redes sociais onde relembrou o aniversário de 16 anos da estreia de Miranda na equipe. O zagueiro atuou pela primeira vez vestindo a camisa do Tricolor aos 22 anos, em 2006, em uma partida contra o São Caetano pelo Campeonato Brasileiro daquele ano.

Galeria
> ATUAÇÕES: Calleri volta a marcar, e Bustos “desencanta” em vitória do São Paulo

Tabela
> Veja tabela do Campeonato Brasileiro e simule os próximos jogos

Suas passagens pelo clube do Morumbi se dividem em duas. A primeira, de 2006 a 2011. Neste período, jogou ao lado de grandes nomes - inclusive com o próprio Rogério Ceni, hoje treinador da equipe. Logo em seu primeiro ano de São Paulo conquistou o seu primeiro título, no caso, o Brasileirão.

Em 2007, conquistou mais um Campeonato Brasileiro, encerrando a competição carregando o posto de defesa mais sólida daquela temporada. No ano seguinte, fez parte de uma das linhas defensivas mais marcantes de toda a história do time. Miranda, Rodrigo e André Dias, conseguiram segurar a sequência de 18 partidas invictas também pelo Brasileirão, o que ajudou a conquistar o tricampeonato inédito.

Em 2011, se despediu do Tricolor paulista. Na época, o zagueiro fechou um acordo de três anos com o Atlético de Madrid. Também com passagens pelo Internazionale e Jiangsu Suning, da China, e presente na Copa do Mundo de 2018, retornou para o São Paulo em março do último ano.

Presente na campanha do Campeonato Paulista de 2021, marcou seu primeiro gol de retorno em maio contra o Corinthians, em um empate por 2 a 2 válido pelo estadual.

Nesta temporada, portanto, o veterano chegou a perder um pouco do seu espaço na equipe após iniciar o ano com um desempenho abaixo.

Dos dez primeiros jogos do São Paulo neste ano, ainda no Campeonato Paulista, o veterano havia atuado em somente quatro. Após um erro contra o Red Bull Bragantino, suas chances na equipe haviam diminuído mais ainda. Em fevereiro, contra a equipe de Bragança, uma falha de Miranda originou um dos gols na derrota do Tricolor por 4 a 3.

Mesmo que tenha gradualmente ganhado mais minutos em campo, durante a zona mista após o jogo com o América-MG, em junho, pelo Brasileiro, o veterano falou sobre este momento em específico e demonstrou até mesmo uma certa insatisfação pelos jogos no banco de reservas.

- Eu tive um jogo só infeliz e paguei um preço muito alto. Procuro trabalhar em silêncio, no dia a dia ganhar minha posição. Felizmente, estou conseguindo demonstrar dentro de campo as minhas qualidades - disse Miranda na ocasião.

Sem Arboleda - que se recupera de uma cirurgia após uma ruptura de ligamentos e fratura no tornozelo - o camisa 22 voltou a se firmar no Tricolor - clube onde já é visto como um dos atletas mais marcantes no setor defensivo. Isso porque de todos os nomes disponíveis para a zaga, o atleta é o mais experiente.

Para a posição, Ceni conta com Diego Costa e Léo (que subiram nas últimas temporadas para a equipe profissional), Beraldo e Luizão (também crias de Cotia) e agora com Ferraresi (reforço que chegou na última janela, mas ainda não ganhou tantos minutos).

Mesmo com o cargo de ‘veterano de guerra’ na equipe, nada ainda foi decidido a respeito de uma possível renovação de vínculo. Aos 38 anos, sempre é elogiado por Rogério Ceni quando há a oportunidade.

O LANCE! já havia confirmado que mesmo com a avaliação positiva do treinador e dirigentes, pessoas de seu estafe mantém a posição de esperar pelo final da temporada para avaliar a situação. Seu contrato com o Tricolor vai até o final deste ano.

Veja a postagem do São Paulo em homenagem ao jogador: