Agente de Rossi aponta ingratidão do Boca Juniors e revela salário baixo do jogador

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Rossi é um dos destaques do Boca Juniors na temporada (Foto: Divulgação/AFP)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


Os representantes de goleiro Augustín Rossi vivem momentos de conflito contra dirigentes do Boca Juniors. A renovação contratual do jogador está estagnada e as partes não conseguem chegar em um acordo por valores. O empresário do arqueiro, inclusive, revelou que o atleta pode ser "escanteado" caso as conversas terminem sem abono.

De acordo com Miguel González, a diretoria do Boca está fazendo jogo duro pelos valores desejados. No momento, o jogador recebe 1,5 milhão de pesos por mês, ou seja, cerca de 60 mil reais. Além dos salários "baixos", o agente reclama da falta de reconhecimento por parte dos Xeneizes.

- Me deu a impressão de que o Boca decidiu que Rossi não agarre mais. Me disseram que não o venderiam por menos de 18 milhões de dólares (R$ 95 milhões), uma loucura. Nos deram a entender que se Rossi não assinasse, não jogava mais - disse, antes de completar:

- O Boca não quer que Rossi assine. Disseram que o que pedimos pode quebrar o clube. É inacreditável. O clube segue sendo ingrato com ele. Cedemos muito e encaramos a reunião como uma extorsão - comentou, em entrevista à TyC Sports Argentina.

O empresário também destacou que a oferta do staff de Rossi é de 7 milhões de dólares (R$ 37 milhões) líquidos até 2026, o que contraria os 12 milhões noticiados pela imprensa local. Gonzáles revelou que, mesmo com ofertas superiores de outros clubes argentinos, o Boca Juniors bateu o pé, por meio de seu presidente, Juan Roman Riquelme.

- O encontro não serviu para nada. Impuseram a duração do contrato, o dinheiro, a forma de pagamento. Não se pode opinar em nada. Eu só pedi ao Boca que o que ofereceram bruto seja líquido, nada mais - frisou, antes de concluir:

- Nem quiseram olhar a contraproposta que levamos. Riquelme me disse: "É isso ou saímos anunciando que não é mais goleiro do Boca". Ponham as coisas sobre a mesa para ver quem mente. Tomara que estes caras não pensem sem tirá-lo e o mantenham no time. É um assunto meu, não de Agustín. São totalmente ingratos - finalizou.

Rossi tem contrato com o Boca Juniors até julho do ano que vem. Mesmo com o bom desempenho dentro de campo, as negociações não devem chegar a um final feliz, já que, segundo o empresário, os Xeneizes tentam forçar o staff do jogador a aceitar condições que não o favorecem.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos