Advogado de Rafael Ramos crê em inocência de português

Na última semana, o STJD decidiu por denunciar Rafael Ramos por prática de injúria racial.
Na última semana, o STJD decidiu por denunciar Rafael Ramos por prática de injúria racial. Foto: (Silvio Avila/Getty Images)

Assim que teve ciência da denúncia do STJD contra o lateral direito português Rafael Ramos, do Corinthians, por injúria racial cometida contra o meia Edenílson, do Internacional, o advogado do jogador português concedeu entrevista acreditando na inocência de seu cliente.

Daniel Bialski falou com a Gazeta Esportiva e se baseou nas perícias realizadas para afirmar que a inocência de Rafael Ramos será provada: "As perícias existentes respaldam a negativa veemente do Rafael de que ele não praticou qualquer ofensa de cunho racial contra o outro jogador. Independentemente dos encaminhamentos formais da Justiça Desportiva, a inocência do Rafael será comprovada".

Leia também:

Na última sexta-feira, o auditor do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), Paulo Sérgio Feuz, que era o responsável pelo inquérito que apurava a denúncia de injúria racial cometida por Rafael Ramos, lateral direito do Corinthians, contra Edenílson, meia do Internacional, concluiu que foram encontrados fortes indícios de ofensas de cunho racial pelo jogador português e encaminhou para a Procuradoria da entidade um pedido de denúncia baseado no artigo 243-G do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva), que trata de: "praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência".

No empate em 2 a 2, o jogador colorado, que tem passagem vitoriosa pelo clube do Parque São Jorge, acusou o defensor português de tê-lo chamado de "macaco" em uma disputa de bola na lateral do gramado do Estádio Beira-Rio. Após a partida, o corintiano foi detido em flagrante pela polícia, ainda na casa do Inter, e teve de pagar fiança de R$ 10 mil para ser liberado.

As punições previstas para o jogador podem ser de suspensão de 5 a 10 partidas e ser multado de R$ 100 a R$ 100 mil. O Corinthians pode ser expulso do Campeonato Brasileiro, caso a infração seja considerada de extrema gravidade.