Abel Neto condena torcedor do Flamengo após assédio à repórter da ESPN: 'Escroto e imbecil'

Torcedor teve a prisão preventiva decretada pela Justiça (Foto: Reprodução/Instagram)


Após o caso de assédio de um torcedor do Flamengo à repórter Jéssica dias, da ESPN, o jornalista Abel Neto, colega de emissora, direcionou duras palavras ao homem, já identificado como Marcelo Benevides Silva. Durante o programa "Futebol 360", o apresentador interrompeu a leitura do comunicado dos canais Disney para manifestar sua indignação com o episódio.

+ Quem leva a Libertadores 2022? Lembre finais continentais entre times brasileiros

- Durante a madrugada, esse escroto e imbecil, teve a prisão preventiva decretada - disse Abel, em meio ao comunicado oficial da emissora. Na sequência, ele ressaltou que as ofensas no meio da leitura da nota foram incluídas por ele.

- O "escroto e imbecil" saiu da minha boca, não estava na nota da Disney. Eu assumo, fui eu quem disse. É deprimente que aconteça esse tipo de coisa (assédio à jornalistas) - complementou.

+ Torcedor do Flamengo tem prisão preventiva decretada pela Justiça após assédio a repórter no Maracanã

O apresentador fala sobre a gravidade do ato e ressalta que, independente da profissão, é uma ação criminosa.

- É um crime. É um assédio. É um absurdo! Se fosse uma torcedora, por exemplo, indo ao jogo com uma camisa do Flamengo e ele (assediador) fizesse isso (beijar uma mulher sem consentimento), seria um crime do mesmo jeito. Seja onde for, no Maracanã, em um shopping, restaurante, você não pode chegar e fazer o que ele fez. Sendo uma pessoa trabalhando, piora ainda mais.

+ ESPN repudia assédio no Maracanã e repórter presta queixa na polícia

Após o ato, Marcelo Benevides Silva foi segurado por membros da equipe de reportagem da ESPN e conduzido até a delegacia do Maracanã. Ele teve a prisão preventiva decretada e foi autuado por importunação sexual, crime desde 2018, cuja prisão, caso seja em flagrante, é inafiançável.

A decisão foi tomada após audiência de custódia no Juizado Especial Criminal, no estádio. O homem foi encaminhado para a 19ª DP, na Tijuca. A decisão foi do juiz Antônio Aurélio, do Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos.

Ainda hoje ele será conduzido para uma audiência da Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP). Se mantida a decisão, Marcelo será transferido para um presídio.