Polícia do Equador divulga números alarmantes da violência às vésperas da final da Libertadores

Equador tem aumento de mortes violentar em relação a 2021 (Reprodução/ TV)


O Equador, país sede da final da Libertadores entre Flamengo e Athletico-PR, registra um número de mortes violentas maior neste ano em relação a 2021, segundo dados da Polícia Nacional. Ao todo, 3122 homicídios intencionais foram registrados, sendo 85% causados por armas de fogo.

Na última quinta-feira, Alexandra Tacury foi assassinada com 13 ferimentos causados por tiro em seu corpo. Segundo o portal "Extra", a mulher tinha histórico com o tráfico de drogas e foi morta por homens que a esperavam do lado de fora de uma unidade educacional em Guayaquil.

Segundo moradores, a vítima conversava com o diretor do colégio após deixar seus dois filhos. O homem também foi ferido e levado ao hospital. No último dia 22 de setembro, um homem que que estava dentro de um veículo foi baleado por uma pessoa que fugiu em uma moto também em Guayaquil.

As estatísticas também apontam um aumento na violência contra menores de idade. Enquanto 51 crianças e adolescentes foram assassinadas em 2021, o número aumento para 132 jovens no ano atual.

Segundo os dados, Guayaquil e Esmeraldas são as áreas que mais sofrem com violência no país. Os dados registrados são piores do que algumas cidades mexicanas, como Sinaloa, San Luis de Potosí, Tamaulipas e Jalisco.

PALAVRAS DO MINISTRO

​Na última quinta-feira, Sebastián Palacios, Ministro do Esporte do Equador, garantiu que está em contato e trabalhando com a Conmebol para a realização da decisão da Libertadores em Guayaquil. O político afirmou que a cidade "é a sede" e que não dará "espaço para rumores".